9 mai 2016

A farsa da L-Carnitina



carnitina

 

L-Carnitina: um suplemento vendido sem reais efeitos comprovados.

 

O número de pessoas com sobrepeso no mundo têm aumentado de forma considerável nos últimos 30 anos (Volpe, 2006). A suplementação de L-carnitina tem sido usada para reduzir a obesidade que pode ser causada por uma dieta rica em gordura, o que traria benefícios na redução dos níveis de lipídios séricos e hepático (Wu et al, 2014). Teoricamente a função da carnitina se dá pela geração de energia pela célula, pois ela age transferindo AGL’s (ácidos graxos livres) do citosol para a mitocôndria, o que facilita a sua oxidação para gerar ATP (adenosina trifosfato) (Coelho et al, 2005).

 

Porém, isso não quer dizer o suplemento seja o adequado para o emagrecimento. Será que o que você usa de carnitina exógena chega a mitocôndria para a β-oxidação? Pois é, tudo que você usou vai embora na urina, pois o transporte de carnitina pra o musculo depende do OCTN2 contra o gradiente de concentração, que naturalmente é saturado e não se torna biodisponível para o trabalho. O que aumentaria esse transporte seria por meio de uma hiperinsulinemia que novamente levaria a um acúmulo de gordura.

 

Um estudo analisou a suplementação de 30 dias de L-carnitina para avaliar a taxa metabólica de repouso (TMR) e oxidação de AGL’s em repouso e exercício. Depois de selecionados, os voluntários (n=21) fisicamente ativos com sobrepeso foram divididos em grupo suplementado (n=11) e placebo (n=10). O grupo carnitina suplementou 1,8 g/dia de L-carnitina e logo após foram retirados antropometria, VO2máx, TMR, ingestão calórica e dados bioquímicos para aferir AGL. O resultado após 30 dias de suplementação não mostrou diferenças nas variáveis analisadas entre grupo carnitina e placebo (Coelho et al, 2010).

 

Osório (2011) em sua revisão provou ainda que a carnitina não promoveu a degradação de gordura e mobilização do tecido adiposo para outros tecidos. Além do mais através dos estudos foi notado que quando a carnitina proveniente da dieta aumentou causou variações negativas na absorção. A suplementação exógena de carnitina em excesso leva a uma menor produção de carnitina exógena, pois o organismo têm um feedback positivo e não produz mais carnitina internamente que leva a uma diminuição da taxa de oxidação lipídica.

 

O hormônio antagonista a insulina já aumenta o catabolismo de gorduras em uma pequena taxa na inanição curta, o glucagon. Não gaste dinheiro na busca incessante pelo suplemento milagroso que teoricamente te faz perder gordura, a ciência prova que somente indivíduos com deficiência na produção da carnitina endógena se beneficia da suplementação aumentando os estoques.

 

Autor: Luiz Eduardo Marinho Falcão

 


Equipe Musculação Total



  








Tags: ,

Envie um comentário