30 abr 2016

Beta-alanina: uso para fins terapêuticos.



beta-alanina

 

Achados recentes corroboram que a suplementação crônica de β-alanina parece aumentar o conteúdo de carnosina por via intramuscular, já que é o precursor limitante da síntese do dipeptídeo carnosina (β-alanil-L-histidina) no músculo humano (Derave, 2013), e tem consistido em demonstrado um auxílio no aumento da capacidade e performance de exercícios anaeróbicos (1-4min), onde seu uso por atletas que concorrem em alto nível se mostra crescente (Harris & Stellingwerff, 2013). Contudo, o mecanismo com que esse carregamento resulta ainda não está bem elucidado. De acordo com as suas propriedades bioquímicas as funções conferidas a carnosina são a do sistema tampão de pH intramuscular (Geda et al, 2014) e regulador de cálcio (McCarty & DiNicolantonio, 2014).

 


Estudos mostram que se nota um maior acúmulo intramuscular de alguns metabólitos em exercícios de alta intensidade, dentre os quais se destacam: ADP, Pi, lactato e H+ (Artioli et al, 2009). O lactato não parece ser o principal determinante da fadiga, porém o que mais sustenta os efeitos negativos sobre os processos contráteis ou de transferência de energia são a produção de íons H+ da dissociação do ácido lático que teria a capacidade de inibir enzimas da via glicolítica (Danaher et al, 2014). Daí a importância da suplementação com β-alanina, o equilíbrio ácido-base que o tamponamento resultante do aumento da carnosina intramuscular causa é alcançado por transporte ativo e passivo de íons H+ para o interstício, o que modera o efeito da acido no meio intracelular e extracelular em exercícios de alta intensidade com maior liberação de íons bicarbonato (HCO3-)(Danaher et al, 2014), uma vez que a fadiga foi relacionada com o aumento da acidose intramuscular sobre o exercício anaeróbico, que pode limitar o metabolismo celular no processo trabalho muscular (Pelicer et al, 2011).

 

Além de efeitos ergogênicos, a suplementação de β-alanina vem sendo estudada para fins terapêuticos, onde a carnosisa semelha agir como neuroprotetor, por uma interação GABA-homocarnosina no tecido nervoso, e mostra sucesso em pacientes autistas; função antioxidante contra ERO’s e anti-glicante de proteínas, melhorando quadro de diabéticos e indivíduos com placas de ateroma (Artioli et al, 2009; Sale et al, 2013).

 

Podemos obter carnosina pela dieta com um consumo de carnes, mas a forma mais absorvida se da por suplementação, já que a enzima carnosinase do aparelho digestório hidrolisa o dipeptídeo. Um suplemento que pode reduzir a fadiga de atletas sempre é muito descutido, a β-alanina mostra benefícios em relação à diminuição da acidose causada pelos exercícios de alta intensidade, e sim o suplemento apresentam efeitos ergogênicos no esporte e terapêuticos, o que faz dele mais requisitado, por isso o alto custo lançado pelas empresas de suplementos alimentares.

 

Autor: Luiz Eduardo Marinho Falcão

 


Equipe Musculação Total



  








Tags: , , , ,

Envie um comentário